27 de nov de 2008

SANTA CATARINA EM BAIXO DÁGUA

Enquanto no Rio Grande do Sul venta muito, o Estado de Santa Catarina recebe uma enxurrada e se desmancha em lodo.
É impossível não ficar atônito com as imagens que vemos nos jornais e internet. Até o dia de hoje, 27 de novembro são
78.656 desalojados e desabrigados, sendo 27.404 desabrigados e 51.252 desalojados. São 97 mortes e 19 desaparecidos confirmadas e mais 1.500.000 afetados. Duas cidades isoladas, com extrema dificuldade de receber ajuda: Rio dos Cedros e Garuva.
O Governo do Rio Grande do Sul, através da Defesa Civil Estadual, segue enviando ajuda para as famílias atingidas pelas fortes chuvas do último final de semana em Santa Catarina. Foram remetidos até esta quarta-feira (26), 5.630 cobertores, 5.330 colchões, 1.775 kits de limpeza, 1.552 cestas básicas e 730 travesseiros.

A Base Aérea de Canoas ofereceu à governadora Yeda Crusius dois aviões, um Hercules e outro Amazonas, que já fazem o transporte de mantimentos para o estado vizinho. Vinte e um caminhões já foram carregados com mantimentos.

No total, serão transportados 12 mil colchões, 12 mil cobertores, 12 mil toalhas, 12 mil travesseiros, além de 2.400 kits de limpeza e 7.552 mil cestas básicas. A Defesa Civil gaúcha, com apoio da Conab e da Brigada Militar, prossegue na montagem de kits de limpeza, cestas básicas e demais materiais e no carregamento das carretas que chegam para fazer o transporte.

Como ajudar? A maior necessidade ainda é alimentos, roupas e cobertores. Segue lista de links:
http://www.defesacivil.pr.gov.br/
http://www.polmil.sp.gov.br/
http://www.rio.rj.gov.br/defesacivil/
www.voluntáriosonline.com.br

As doações em dinheiro já chegam a R$ 1,2 milhão em todo o Brasil. Veja as contas bancárias da Defesa Civil:

Banco do Brasil: agência 3582-3, conta corrente 80.000-7
Besc: agência 068-0, conta corrente 80.000-0
Bradesco: agência 0348-4, conta corrente 160.000-1
Caixa Econômica Federal
: agência 1277, Operação 006, conta corrente 80.000-8

As empresas ou pessoas de outros estados que tiverem interesse em fazer doações para as vítimas das enchentes de Santa Catarina devem entrar em contato com o Departamento Estadual de Defesa Civil do Estado, pelo número
(48) 4009 9885. Os catarinenses devem ligar para 199 ou para a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional mais próxima do seu município.

IMAGENS DE SANTA CATARINA


FONTES: Voluntáriosonline.com.br
ClickRBS.com.br
revistabrasileiros.com.br
defesacivil.pr.gov.br

Assessoria de Imprensa da Defesa Civil/RS

5 comentários:

Silviane disse...

Na verdade sávio, a situação aqui em Santa Catarina mostrada pela mídia televisiva, impressa e internet não é nem 10% da realidade vivida hoje nas regiões afetadas pelas chuvas e desmoronamentos.
Morei 5 anos na região de Blumenau - SC, uma das cidades mais afetadas principalmente por desmoronamentos e quedas de barreiras, o que ocasionou muitas mortes.
Relatos de alguns amigos que ainda tenho naquela cidade, dizem que nunca viram tanta gente morta, e tanto desespero de pessoas a procurar por seus parentes desaparecidos.
Os mortos estão sendo retirados da lama, dos soterramentos, dos escombros com caminhões frigoríficos. Famílias inteiras morrem em um único momento, sendo que as que tem pelo menos uma pessoa viva na família manisfesta seus desaparecidos. E as famílias que se foram inteiras? Quem vai manifestar o desaparecimento deles debaixo de tanta terra que desabou?

Isso a TV não mostra, nem a internet, nem os jornais!

Abraços

Ron Groo disse...

Ja vivi isto de perto em 86 e 87 em minha cidade. Com a mesma intensidade talvez.
É horrivel.

guardrailf1.com disse...

Que tragédia! Nao sei nem o que dizer sobre a situaçao...

Sávio,
Vou aproveitar para avisar que o Guard Rail mudou de endereço. Agora é www.guardrailf1.com , ok?

Obrigada!

Priscilla Bar disse...

Oi Sávio,

Talvez nao seja o melhor momento,mas: Vc sabe pq a parceria ELF-Renault acabou? Entrou a TOTAL...

Bjs

SAVIOMACHADO disse...

É verdade Silviane. Estas famílias só serão reconhecidas após serem encontradas embaixo de tanta lama, se é que serão encontradas. Mas estas fatalidades acontecem no mundo inteiro e não há como lutar contra a natureza. Neste momento temos que solidários e fazer o possível para confortar todos aqueles que sobreviverem, pois todos terão que recomeçar. Obrigado pela visita e pelo comentário. Venha sempre, independente do momento, seja ele feliz ou não.
Abraços.

Groo, acredito mesmo que deve ser muito dificil. Um abraço.

Priscila Bar - Obrigado pela informação.