15 de mar de 2010

A VIOLÊNCIA LEVA UM GRANDE CARTUNISTA


Como bom fanzineiro punk que fui, no início dos anos 90, vim apenas prestar minha singela homenagem ao cartunista Glauco Villas Boas que morreu na sexta passada, dia 12 de março.

No início dos anos 90 fui protagonista de inúmeros eventos na região sul do país ligados a música, fanzines e quadrinhos.
No auge dos meus 22 anos de idade, como não havia internet, muito menos blogs, fazíamos tudo para o nosso trabalho, mesmo que fosse escroto, aparecece na mídia, fosse ela escrita, televisiva ou até mesmo nas rádios.

Naquela época tínhamos que comprar revistas para poder acompanhar as novidades e eu era apaixonado pelo trabalho do trio Laerte, Angeli e Glauco (Los Três Amigos). Sempre que eu podia, embora assalariado, comprava uma revista que era devorada em minutos. Os traços do trio muitas vezes serviram de inspiração para o meu antigo fanzine que na época chamáva-se "Mad House".

As minhas revistas guardadas até hoje.


Eu me arriscava a criar e desenhar histórias. E sempre fui muito elogiado, até porque dificilmente se encontra um quadrinhista em qualquer esquina. Ainda mais nos tempos de hoje.

Os tempos modernos trouxeram novas tecnologias para os desenhos e também trouxe mais violência e a vida de Glauco Villas Boas foi ceifada junto com a do seu filho.

Não gostei nem um pouco de escrever sobre esse assunto. Mas senti que devia.

Obrigado pelo seu legado Glauco.



Mais sobre Glauco: http://universohq.blogspot.com/
http://www2.uol.com.br/glauco/index.shtml