16 de jun de 2007

Cuidados para o óleo do carro

Quase metade dos lubrificantes à venda é adulterada, e ANP diz que fechará empresas.

Os motoristas brasileiros devem redobrar a atenção. Não bastasse o risco de comprar gasolina e álcool adulterados, agora é preciso também se precaver contra o óleo que lubrifica os motores dos automóveis e motos. Num mercado que movimenta cerca de R$ 4,5 bilhões por ano, quase a metade dos óleos lubrificantes vendidos no país está adulterada. A constatação é de pesquisa de qualidade, realizada pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) entre julho e setembro e concluída na semana passada, à qual O GLOBO teve acesso com exclusividade. A Superintendente de Qualidade de Protudos da ANP, Maria Antonieta Andrade de Souza, explica que o monitoramento da qualidade dos óleos lubrificantes foi feito em quatro estados (São Paulo, Bahia, Goiás e Tocantins), além do Distrito Federal, no terceiro trimestre do ano, revelando dados preocupantes. Segundo a executiva, das 284 amostras coletadas 46,4 estavam fora das especificações (adulteradas). A Agência acredita que o problema ocorra em todo o país em escala semelhante.
A pesquisa revelou que a maior parte dos problemas encontrados se referia à ausência total de aditivos em boa parte das amostras de óleo - alerta Maria Antonieta.

Fonte:
Ramona Ordoñes
Revista Sindilub

Um comentário:

lobo da estrada disse...

legal, tirou todas as minhas duvidas sobre lubrificante, origado